Uma sopa terceirense

Esta sopa-refeição, de enfartar, era tradicional da Terceira, onde se chamava sopa de cavador (ou pelo menos assim se chamava na minha família). Sempre se fez na minha casa de infância, onde, por origem terceirense da minha família materna, a cozinha terceirense tinha grande presença.

250 g de feijão rajado ou, na falta, de feijão catarino (ou vermelho), 300 g de abóbora, 2 batatas doces, 4 batatas grandes, uma linguiça, 125 g de toucinho, um chispe, uma cebola grande, 3 dentes de alho, uma folha de louro, 6 grãos de pimenta da Jamaica, sal, 6-8 grãos de pimenta preta e uma c. café de canela. A linguiça açoriana não é a de cá. É mais próxima de um bom chouriço de carnes, mas mais temperada e picante. (A meu gosto, junto também 1/2 c. chá de cominhos).

Demolhar o feijão e semi-cozê-lo. Fazer a sopa com o feijão, as carnes e os legumes cortados em pedaços pequenos e os temperos, com água mais o caldo do feijão, só a cobrir tudo. Deve ficar um pouco apurada. A canela só se junta quando a sopa estiver pronta. Sendo um tempero pouco vulgar em sopas, aconselho que se experimente a quantidade de canela a gosto.

Variante minha: uso também bacon e acrescento repolho, cortado grosso.